segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Longe do fim, obras do BRT causam transtornos e Prefeitura tenta diminuir os impactos

Obras do BRT a todo vapor no Complexo do Entroncamento. 
As obras estão em andamento, as previsões oficiais são positivas e o Bus Rapid Transit está sendo projetado como a solução para o enforcamento do fluxo de veículos em trechos críticos de Belém. Porém, a realidade de quem tem convivido com as obras do BRT é de congestionamentos, poucas explicações sobre o trânsito e muito estresse.

A Prefeitura de Belém diz que o caos é necessário para a finalização de trechos estratégicos do Projeto e para antecipar a circulação de veículos. Assim, a entrega do Complexo do Entroncamento e a definição de uma faixa preferencial para o transporte coletivo, a partir de 2014, seriam algumas das medidas para minimizar esse transtorno no trânsito.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

1º Fórum de Proteção e Defesa dos Animais é realizado em Belém

1º Fórum de Proteção e Defesa dos Animais, realizado na Assembleia Legislativa do Pará.
Vivemos num mundo em que a maioria das pautas é voltada para o homem e para os acontecimentos na sociedade. Para viver de maneira saudável, precisamos estar em equilíbrio com a natureza e com todos os seres em nossa volta, mas, muitas das vezes, esquecemos e acabamos dando menos importância aos animais.

Para discutir essa questão, foi realizado o 1º Fórum Estadual de Proteção e Defesa dos Animais, no último sábado, 23, no auditório João Batista, da Assembléia Legislativa do Pará (ALEPA). Organizado pelo vereador Igor Normando (Partido Humanista da Solidariedade/PA), o evento contou com a participação de palestrantes da região e de outras localidades do país.

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Os 10 vídeos mais perturbadores da internet

Aproveitando esse clima de Halloween, o blog Os Apocalípticos apresenta para você os dez vídeos mais bizarros e perturbadores que rolam na internet. Mas antes de começar a assisti-los, feche a porta do seu quarto, apague a luz, aumente o som. Quero ver se você tem coragem!

Possessão em Loja de Conveniência
Uns acreditam; outros, não. A possessão é um assunto que levanta opiniões de gente que diz acreditar e de pessoas que acham que tudo não passa de encenação ou coisa do tipo. Muitas dessas manifestações ‘’diabólicas’’ acontecem nas igrejas, principalmente nas evangélicas. A possessão é um assunto polêmico e vários vídeos de supostas pessoas "endemoniadas" rolam pelo youtube. Um desses vídeos, você confere abaixo.
Nele, um rapaz, em uma loja de conveniência, começa a agir de uma maneira estranha. Repare nos últimos segundo do vídeo o reflexo no espelho e o que acontece com um dos produtos da prateleira do estabelecimento.

domingo, 20 de outubro de 2013

Círio de todas as crenças

Foto: Divulgação/Círio de Nazaré
Com séculos de tradição, o Círio de Nazaré, comemorado em Belém do Pará no segundo domingo de outubro, já não é somente uma demonstração religiosa, mas cultural. Essa quebra das barreiras religiosas reflete-se também nos eventos que ocorrem paralelamente a essa grande festa, como o Círio Musical. Para você que não conhece, há 10 anos o evento reúne atrações católicas nacionais. Durante os 15 dias de shows abertos ao público na Praça Santuário, em meio a milhares de pessoas, uma miscigenação de idade, estilo e credo pode ser vista.
Sob o comando do Padre Jeferson, a organização do Círio Musical desse ano optou por reunir bandas que atraem grande público durante os shows. "Por ser 10 anos de evento, a gente quis toda noite trazer uma atração que pudesse lotar essa praça. Desde o dia 13 [de outubro], a mídia está divulgando um público com cerca de 15 mil pessoas e a gente fica muito feliz de perceber isso, porque quanto mais pessoas na praça, mais nós temos a oportunidade de evangelizar", afirma o Padre.
Até agora, quase 10 das 15 bandas previstas para se apresentarem já passaram pelo palco do CAN. Mas, sem dúvida, a Banda Rosa de Saron foi recorde de público, superando todas as expectativas da organização do evento. "Isso é por conta da abrangência que a banda tem. Ela não atinge só o público católico. Se olharmos, a gente vai ver tribos de jovens de todo o lugar. Por isso, até o fim do Círio Musical, serão eles a trazerem o maior público", avalia Padre Jeferson.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Ponto de Memória da Terra Firme tenta mudar imagem do bairro

Campus de pesquisa do Museu Emílio Goeldi, localizado no bairro da Terra Firme. Foto: Leonel
O bairro da Terra Firme começou a se formar na década de 1950. De lá pra cá, muita coisa mudou na comunidade. Para documentar e facilitar o acesso à história do bairro, moradores criaram o Ponto de Memória da Terra Firme.
O Ponto surgiu em maio de 2010, com apoio do Museu Paraense Emílio Goeldi e do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), através do Projeto Pontos de Memória. 
O Ponto da Terra Firme trabalha para que a população do bairro seja vista com outros olhos. É o que explica o conselheiro do Ponto de Memória, José Maria de Souza: “o objetivo maior do Ponto de Memória é resgatar a memória da Terra Firme, que estava sendo perdida, e tirar a imagem negativa que a Terra Firme tem. Aqui tem muita coisa boa que não é divulgada pela imprensa, porque pra eles só interessam as coisas ruins”, relata.

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Construção de shopping no Centro Histórico é alvo de investigações


“Shopping de Charme”: ainda não foram liberadas informações sobre o projeto e há suspeita de que houve descumprimento de legislação/Ilustração: Diário do Pará
A construção do shopping Bechara Mattar Diamond, na Cidade Velha - bem ao lado do Complexo Feliz Lusitânia - pôs o bairro novamente no centro de discussões sobre o dano que os interesses de grupos empresariais causam à preservação do patrimônio histórico de Belém. O shopping vai ser construído onde hoje está o prédio de um antigo comércio da família Bechara Mattar, na Rua Padre Champagnat, ao lado da Sé. Toda essa área é tombada pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Manaus está preparada para sediar a Copa?

Foto: Marco Facre
Nesta semana não teve como não pensar na Copa. Na segunda-feira, 9, o goleiro Júlio Cesar foi escalado como membro oficial da seleção brasileira para 2014 e na terça-feira, 10, o Brasil ganhou Portugal por 3x1 em um amistoso internacional em Boston (EUA). Hoje, 16, marcam-se exatamente 269 dias para o começo da Copa do Mundo FIFA 2014, que será sediada em nosso país.
Semana passada, alguns integrantes do Os Apocalípticos foram à Manaus novamente para participar do EXPOCOM - Exposição de Pesquisa Experimental em Comunicação (na Intercom), que premia os melhores trabalhos da área no Brasil e no qual o nosso blog ganhou o prêmio regional em maio.
A viagem também foi uma oportunidade para presenciarmos e sentir na pele a situação atual da capital do Amazonas, que será uma das sedes da Copa 2014.
Bom, aqui exponho minhas constatações:
Primeiro, é preciso informar que a SECOPA – Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo da FIFA – estabelece 28 programas de análise da matriz. Como são muitos, me atentarei a apenas cinco.

sábado, 14 de setembro de 2013

Festival Internacional do Chocolate e Cacau chega a Belém

Belém do Pará recebe pela primeira vez o “Festival Internacional do Chocolate e Cacau da Amazônia”, que acontece no Hangar - Centro de Convenções da Amazônia de 12 a 15 de setembro. O evento é promovido pelo Governo do Estado por meio da Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri) e em parceria com algumas empresas. O festival já acontece há cinco anos em Ilhéus, na Bahia, onde recebe cerca de 30 mil visitantes. 
Para esta edição no Pará, a programação está repleta de delícias e, é claro, gente que entende do assunto. Renomados chefs e chocolatiers marcam presença e demonstram seus conhecimentos em workshops e palestras. Também haverá programação cultural com apresentações de bandas regionais durante todos os dias do evento.
Porém, um grupo de Fiscais Federais da Agropecuária aproveitou a presença de autoridades do Estado na noite de abertura do festival para protestar contra o loteamento de cargos no Ministério da Agricultura, que, segundo os manifestantes, não seriam pessoas com capacidade técnica para ocupar determinadas funções. Entramos em contato com a assessoria da Sagri, que disse não ter conhecimento sobre as reivindicações da categoria por se tratar de Servidores Federais e não do Estado. Também tentamos contato com o Ministério de Agricultura, porém não obtivemos êxito até a publicação desta matéria.
Os Apocalípticos, claro, foi até a abertura desse delicioso evento para te deixar por dentro de tudo o que rolou no Hangar e te deixar com muita água na boca! Confira:


terça-feira, 3 de setembro de 2013

Onde foi parar o Parque dos Dinossauros?

Fonte: Reprodução/Ckwik
Jurassic Park 3D deveria ter estreado nos cinemas de Belém na última sexta-feira, 30, mas não estreou. Na verdade, o filme não foi transmitido em muitas cidades do país. Por quê?
E você sabia? Jurassic Park tinha sido relançado em 3D? Pois é, essa versão do filme estreou nos Estados Unidos no dia 5 de abril deste ano, arrecadando mais de 40 milhões de dólares. Assim, Jurassic Park se tornou o primeiro filme da Universal Pictures, e também de Steven Spielberg, a ultrapassar a marca de US$ 1 bilhão de arrecadação nos cinemas mundiais.
Esse relançamento é devido aos 20 anos do lançamento do primeiro filme da sequência. À época, em 1993, Jurassic Park foi aclamado como um marco na indústria de efeitos especiais e recebeu críticas altamente positivas, apesar de ressalvas à falta de desenvolvimento da história e personagens em oposição aos efeitos. Arrecadou mais de 900 milhões de dólares em todo o mundo, tornando-se o filme de maior sucesso lançado até então (sendo ultrapassado somente quatro anos depois por Titanic), e sendo atualmente a décima quinta maior bilheteria de todos os tempos. A adaptação venceu três Oscars, sendo eles de Melhor Som, Melhor Edição de Som e Melhores Efeitos Especiais.
Com tanto sucesso assim, por que aqui no Brasil o relançamento está sendo pouco difundido? Os Apocalípticos fizeram uma entrevista com Haroldo Rebelo Junior, da Geek Store Brasil, para saber a visão do mercado diante de tudo isso.

sábado, 31 de agosto de 2013

Cine Líbero Luxardo: o espaço alternativo da Sétima Arte em Belém

Foto: Cristiano Martins / Ag. Pará - Divulgação

A fila cresce em direção à pequena bilheteria. No local, uma placa indica a capacidade máxima de cada sessão: 86 lugares; abaixo, outra plaquinha: o ingresso custa 8 reais e estudante paga meia. Assim é a movimentação para conseguir o ingresso de uma das sessões do Cine Líbero Luxardo, vinculado à Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves.

Criado em 1986, o cinema tem o objetivo de promover a difusão das produções nacionais e internacionais e oferecer ao público uma programação de filmes diferenciada. Para Marco Antonio Moreira, integrante da Associação Paraense de Críticos de Cinema, “o Cine Líbero Luxardo representa um dos pontos mais importantes do circuito alternativo, que exibe filmes fora do circuito comercial, mas que na maioria das vezes são até melhores”. 

O nome do espaço é uma homenagem ao primeiro cineasta a abordar temas amazônicos nos roteiros da telona, exaltando também a música paraense nas trilhas sonoras dos filmes, com destaque para artistas locais como Waldemar Henrique e o compositor Paulo André Barata.  

Líbero Luxardo também foi jornalista e político, mas sua grande paixão era a sétima arte. Nascido em São Paulo, chegou ao Pará na década de 1940. Mesmo com todas as dificuldades, não desistiu de fazer cinema na Amazônia e virou uma referência na produção cinematográfica na região. 

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Deep Web: o lado obscuro da internet

      Pense em tudo o que o ser humano é capaz de fazer quando ninguém está olhando. Canibalismo, assassinos de aluguel, pedofilia, tráfico humano, satanismo e bizarrices inimagináveis. Isso é um pouco do que você pode encontrar na parte obscura da internet, a chamada Deep Web. Esse lado profundo do mundo virtual está acessível somente àqueles com profundo conhecimento de hackeamento, mas também pode ser acessado – em parte – com pacotes (a exemplo o Tor) que permitem aos usuários anonimato e certa segurança ao navegarem.
Mas a verdade é que ninguém sabe o que de fato acontece nessas camadas profundas. Quem diz que já alcançou os últimos níveis, nunca pôde comprovar o que viu. Alguns relatos afirmam até que 95% do conteúdo da internet - ou mais – estão lá, porém a informação nunca foi confirmada. Então, o que realmente pode ser encontrado nessas camadas? Os Apocalípticos te ajuda a descobrir.

Infográfico explicando as camadas da DW (clique na imagem para ampliá-la).
Fonte: Reprodução/Mestre dos sites

As camadas
Para que você entenda a Deep Web, primeiramente é necessário entender porque ela está lá. Na verdade, sua criação veio com a intenção de troca de informações e liberdade de conteúdo entre pessoas que viviam/vivem em países de forte censura. Mas com o tempo, suas páginas passaram a ganhar conteúdos mais pesados, como fóruns para compra e venda de drogas, venda ilegal de órgãos, imagens e vídeos pornográficos, etc.

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Exposição apresenta arte rupestre encontrada no oeste do Pará

Amazônia, floresta, populações ribeirinhas, brega, carimbó. Esses parecem ser os temas que norteam as pesquisas acadêmicas e profissionais no estado do Pará. Mas há uma vertente científica pouco conhecida: a do estudo arqueológico, mais especificamente o de resgate da arte rupestre. É este lado da Ciência local que a exposição “Visões: arte rupestre em Monte Alegre”, realizada pelo Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), pretende mostrar.
Tudo começou com uma equipe de quatro pessoas: um poeta, uma arqueóloga, um aquarelista e um cineasta. Eles se uniram e viajaram às serras de Monte Alegre - município no oeste do Pará, próximo a Santarém. Lá, depararam-se com diversos sítios arqueológicos, inclusive com a presença da arte rupestre – que, como sabe, são as representações de registro humano mais antigas conhecidas, pré-históricas. 
Primeiro cômodo da exposição aquarelas de 
Mário Baratta ao centro.

A pesquisa dessa arte rupestre proporcionou uma impressão para cada uma dessas quatro pessoas, de forma que essas visões diferenciadas precisavam ser extravasadas. Assim, a exposição do MPEG é resultado desses diferentes pontos de vistas.
No primeiro cômodo, vemos o trabalho do aquarelista Mário Baratta em diversos quadros que retratam Monte Alegre. Nas paredes do mesmo lugar, têm-se reproduções em larga escala da arte rupestre local, além de grandes banners ilustradas com as palavras de Juraci Siqueira, o poeta – suas poesias, inclusive, culminaram no livro infantil: Itaí a carinha pintada.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Faculdade de Comunicação Social da UFPA paralisa por falta de estrutura



Os estudantes do curso de Comunicação Social, da Universidade Federal do Pará (UFPA) decidiram paralisar as atividades curriculares das duas habilitações (Jornalismo e Publicidade e Propaganda) por tempo indeterminado. A medida foi aprovada por meio de votação durante assembléia estudantil, realizada no último dia 16.
Os discentes denunciam que a Faculdade de Comunicação (FACOM) enfrenta problemas nos Laboratório de Telejornalismo e no módulo de TV do laboratório de Comunicação Institucional, disciplinas obrigatórias dos cursos. A falta de equipamentos, de auxiliares de gravação, de um carro de reportagem e a defasagem da ilha de edição estariam prejudicando a produção audiovisual, um aprendizado crucial para os alunos do curso.
Segundo a carta oficial escrita pelos dirigentes do Centro Acadêmico de Comunicação Social (CACO), o curso está precarizado há anos, sustentado até hoje graças aos esforços dos próprios alunos. Esses problemas fizeram, inclusive, com que as professoras dos laboratórios decidissem, na última sexta-feira, 12 de julho, paralisar parcialmente as atividades.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Entenda os investimentos na educação reivindicados pelas ruas


Uma das bandeiras levantadas pelas manifestações que vêm ocorrendo no Brasil é aquela protestando por maiores investimentos na educação pública do país. No geral, o que os manifestantes pedem é que 100% dos royalties do petróleo sejam destinados à educação, assim como 10% do PIB nacional e 50% do Fundo Social do Pré-Sal. Mas você sabe o que é cada uma dessas coisas, como é a situação atual e o que já foi conquistado? Calma, vamos por partes.

Primeiramente, o que são os royalties? Bom, quando é feita a extração de um recurso natural, cobram-se impostos sobre ela. Essa cobrança é chamada de royalty. No Brasil, existem diferentes tipos de royalties, que podem ser pagos tanto para o governo quanto para a iniciativa privada. Os royalties relativos aos recursos naturais minerais – que é o caso do petróleo e dos minérios, por exemplo – são pagos para o governo.  Em nosso país, considera-se que todo o petróleo extraído neste território é pertencente à União como um todo – por mais que haja uma lei que garanta que os royalties pertencerão ao governo do estado produtor. Essa ideia de “compartilhar” é a que gera a reivindicação popular que busca que 100% do dinheiro recebido com esses royalties seja retornado em forma de investimento na educação, bem como os royalties do Pré-Sal.

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Lei da Ficha limpa, o primeiro passo contra a corrupção

Entre as diversas frases que estampam cartazes em manifestações que ocorrem no Brasil desde o dia 13 de junho, uma palavra-chave é evidente: corrupção. Na última quarta-feira, 26, atendendo ao pedido da presidenta Dilma Roussef e pressionado pelas ruas, o Senado Federal aprovou o projeto de lei que torna a corrupção ativa e passiva em crime hediondo, tão grave quanto homicídio qualificado e estupro. Agora, a proposta segue para a Câmera dos Deputados.
A ação pertence a uma série de medidas do governo para atender às reivindicações da população, que desde o dia 13 tem ocupado as ruas do País. Entre as pautas mais urgentes está a reforma política, cuja proposta do governo é realizar um plebiscito, ainda este ano, para questionar os brasileiros.
         Uma das primeiras vitórias da população nesse sentido foi a chamada Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar nº 135/2010), lançada em abril de 2008 e aprovada pelo presidente da República Luís Inácio Lula da Silva em 04 de junho de 2010. É uma iniciativa da Articulação Brasileira contra a Corrupção e a Impunidade (ABRACCI), do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) e de diversos outros setores da sociedade civil brasileira que impede políticos condenados por órgãos colegiados a participarem de eleições, além de alterar a Lei Complementar nº 64, de maio de 1990, que visa “proteger a probidade administrativa e a moralidade no exercício do mandato”, conforme o documento.
         Atualmente, a lei tem sido amplamente debatida por políticos e por organizações da sociedade civil. De um lado estão os que querem que candidatos com contas de campanha reprovadas pela Justiça Eleitoral possam concorrer ao pleito, apesar de comprovadas irregularidades como a prática de caixa dois, por exemplo. Do outro lado estão os que querem a "Reforma Política Já", campanha lançada pelos autores da Lei da Ficha Limpa no dia 24, que lança restrições e normas para o financiamento de campanhas eleitorais e a PEC da Ficha Limpa no Serviço Público, que estende a todos os servidores públicos as mesmas regras da Lei Complementar nº 135/2010.

sábado, 29 de junho de 2013

Entenda o projeto conhecido como “Cura Gay”

Manifestantes protestam durante sessão da Câmara de
Direitos Humanos/Reprodução Google
    Muito já foi conquistado com a onda de manifestações que moveu milhares de pessoas por todo o Brasil nas últimas semanas. Dentre as diversas reivindicações, como a queda do projeto PEC 37 e do Ato Médico, está também o projeto que ficou conhecido como "Cura Gay" e que foi aprovado no último dia 18 de junho pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara. Diante de toda a polêmica, você sabe qual a proposta do projeto e por que ele recebeu esse nome?
Diferente do que muitos imaginam, o projeto não foi criado pelo Pastor Marcos Feliciano (PSC-SP), atual presidente da Câmara de Direitos Humanos e Minorias, e sim pelo Deputado e presidente da Frente Parlamentar Evangélica João Campos (PSDB-GO). O projeto prevê a suspensão de dois trechos da resolução instituída em 1999 pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP).

Artigos
Desde 1990, a Organização Mundial da Saúde (OMS) retirou a homossexualidade da sua lista de doenças mentais. A partir de então, diversas organizações ao redor do mundo passaram a abolir, questionar e alertar outras entidades sobre os perigos de tratamentos que buscam a mudança da sexualidade dos indivíduos.
Foi em 1999 que, no Brasil, o CFP proibiu a utilização de qualquer tipo de terapia de reorientação por parte dos psicólogos. Os artigos impedem que psicólogos usem de ações que tenham por objetivo tratar homossexuais ou coagir o paciente a tratar; impedem ainda que os profissionais se pronunciem ou participem de pronunciamentos que reforcem preconceitos sociais existentes em relação aos homossexuais como portadores de qualquer desordem psíquica.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Ato Médico centraliza funções nas mãos dos doutores

O Brasil está vivendo uma onda de manifestações, e dentre as várias causas que as motivam, uma está centrada no projeto de lei 268/02, que foi aprovado no plenário do senado no último dia 18 e é conhecido como Ato Médico.
Esse Ato que tramitou por quase 11 anos no congresso, se sancionado, limitará as funções de 14 categorias de profissionais da área da saúde e dará prerrogativas aos médicos, tal como a formulação de diagnóstico nosológico, ou seja, estabelecerá como exclusivo aos médicos o diagnóstico de doenças.
Os médicos desejam a regulamentação da sua profissão e, sobre a necessidade da proposta de lei ser efetivada, apoiam-se no fato da Medicina ser uma ciência milenar e única categoria a não possuir na legislação do país um texto que defina as suas atribuições de exercício.
O Artigo 4º do projeto é o ponto que mais recebe críticas devido referir-se às atividades exclusivas dos médicos, propondo a formulação de diagnósticos de doenças e respectiva prescrição terapêutica. Além do mais, somente eles poderão realizar indicação e intervenção cirúrgica, prescrição dos cuidados médicos pré e pós-operatórios, realização de cirurgias, procedimentos invasivos, sejam eles terapêuticos ou estéticos, incluindo intubação traqueal, sedação profunda e anestesia geral, biópsias e as endoscopias. Bem como somente eles poderão internar, dar alta, atestado médico e de óbito – excetuando casos de localidade em que não tenha médico.
Mas há nessa proposta as ressalvas das funções que não são de exclusividade médica, o que alguns especialistas de outras áreas julgam confuso, pois enquanto no artigo 4º fica somente à incumbência dos médicos processos invasivo, entre outros processos, no artigo 5º excetuam-se do rol de atividades privativas do médico a aplicação de injeções subcutâneas, intradérmicas, intramusculares e intravenosas, de acordo com a prescrição médica.

terça-feira, 25 de junho de 2013

Entenda as PECs que são alvo dos protestos no Brasil

Desde a semana passada se iniciou uma série de manifestações pelo Brasil contra problemas que há anos perduram no país, além das novas medidas tomadas pelo governo que geraram descontentamentos. Algumas dessas manifestações são contra a PEC 37 e a PEC 33.
Mas você sabe o que é isso? Uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) é prevista na Constituição Federal, cujo objetivo é mudar o texto constitucional, alterando assim artigos e dispositivos da Constituição. Agora, você sabe por qual razão essas pessoas que participam dos protestos são contra algumas PECs?
Bem, a PEC 37 propõe a inclusão de um novo parágrafo ao Artigo 144 da Constituição Federal, que trata da Segurança Pública, o objetivo seria a apuração das infrações penais de que tratam os §§ 1º e 4º deste artigo, encarregando particularmente a polícia federal e civil dos Estados e do Distrito Federal a cumprirem esse papel. Ou seja, as polícias federal e civil seriam titulares exclusivas nas investigações criminais, impedindo o Ministério Público de realizá-las.
Atualmente, o responsável pelas investigações criminais é o Ministério Público, onde há uma estrutura de investigação baseada na constituição que afirma: a apuração de infrações penais como tarefa da polícia; promotor e procurador denunciam, e o juiz julga o caso. Com a aprovação da PEC 37, a concentração de poder seria numa só instituição, a polícia. Fato esse desaprovado por muitos que acreditam que o combate à corrupção não deve ficar somente nas mãos da polícia. Por conta disso, os manifestantes consideraram que se a PEC 37 for aprovada, as investigações serão feitas com ausência de transparência e excesso de impunidade.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Entenda a função dos três poderes

     
Imagem da internet
Embora muita gente ainda insista em dizer que sim, a série de manifestações que ganhou as ruas das principais cidades brasileiras, e chegou a outros países, não foi causada pelo reajuste no preço do transporte público de São Paulo. Os 20 centavos a mais no valor da passagem foram apenas o pontapé inicial para que o povo protestasse contra problemas muito maiores, como a corrupção e as desigualdades sociais.

Mas, apesar de todo o engajamento, ainda há muitas dúvidas sobre os poderes que regem o país: Executivo, Legislativo e Judiciário. Para que os protestos sejam direcionados ao poder competente, Os Apocalípticos resolveu esclarecer os principais pontos da divisão proposta pelo filósofo Charles de Montesquieu.

terça-feira, 18 de junho de 2013

Manifesto Belém Livre: das redes sociais às ruas

Nesta segunda-feira, 17, aconteceu em Belém o ato em solidariedade a São Paulo e as demais capitais que aderiram ao protesto contra o aumento das tarifas urbanas de transportes públicos. Intitulado “Manifesto Belém Livre”, a população paraense se concentrou em frente ao Mercado de São Brás desde as 16h e saiu em caminhada às 18h em direção a Avenida Almirante Barroso.
O protesto que começou nas redes sociais e que, a priori, visava o apoio às demais cidades para discutir assuntos como transportes, educação, saúde entre outros, teve uma reunião fora do campo virtual.
Usando a hashtag #BelémLivre, os participantes movimentaram as redes sociais e criaram um evento no Facebook com mais de 18 mil pessoas confirmadas. A reunião “Não é por centavos, é por Direitos”, aconteceu no dia anterior, no Anfiteatro da Praça da República, onde as pautas foram propostas.
Não há uma liderança no evento. Foi feito de maneira coletiva e organizada, visando atender aos pedidos da sociedade, mas foi possível ver, mesmo que em menor número, bandeiras de partidos políticos sendo levantadas pela avenida. Ainda assim, os manifestantes, por mais desgostosos com a situação, não voltaram contra esses grupos e a passeata seguiu normalmente.
Vários momentos foram marcantes na caminhada, bem como as frases, tais quais “Vem pra rua! O gigante acordou”, “Transporte público de qualidade: passe livre já!” “Não é vadiagem, é a nova cabanagem”. Ou quando fizeram silencio na frente do Hospital Porto Dias e gritaram suas indignações em frente a Rede Brasil Amazônia de Comunicação (RBA).

Tudo isso você pode conferir na Matéria de Os Apocalípticos no vídeo abaixo:


Texto de Emanuele Corrêa

sábado, 15 de junho de 2013

Da Inglaterra ao Pará, rugby ganha espaço em Belém

À primeira vista um esporte bruto, mas, que diferentemente do que se imagina, está bem distante do conceito de violência. O rugby é um esporte tradicional, com uma filosofia baseada em valores como fraternidade e lealdade. Até as regras do jogo incentivam as práticas éticas, como o respeito ao adversário.
Um rugbier (atleta de rugby) de verdade deve levar estes valores não só para dentro de campo, mas para vida pessoal. E para se tornar um praticante da modalidade não é necessário ser dotado de um porte físico padrão, isso por que a formação da equipe exige diferentes habilidades.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

O mundo não acabou e eu continuo sem namorado

Para não deixar esta data tão especial como o dia dos namorados passar em branco, Os Apocalípticos resolveu dar uma descontraída para animar o dia dos solitários de plantão e claro, para os casais apaixonados também. Confira:

Querido Diário... ops, lugar errado.
O que venho dizer aqui não é uma confissão. Na verdade, é a mais pura verdade e aconteceu comigo com uma amiga minha.
Certo dia, um professor de biologia resolveu provar em sala de aula que o número de mulheres era proporcional ao número de homens. E deu certo. O que ele não contou foi que o número de gays não era proporcional ao número de lésbicas e eu sei que você já percebeu isso, principalmente se estiver solteira (e, se você faz comunicação social, a sua situação é pior ainda).]
Acontece, querido leitor, que muitas mulheres já sofreram diversas decepções com homens que vieram a revelar posteriormente que são gays. Ou pior! Nesse momento peço licença a Banda MolhoNegro para fazer uma pequena alteração no título de uma de suas músicas, que, adaptando a nossa realidade, passa de “Se ela não é lésbica, tem namorado” para “Se ele não é gay, COM CERTEZA tem namorada ou não está nem aí para você (nesse caso mude de sexo ou entre para o convento)”. Nem alterei muita coisa, tá vendo? Só umas palavrinhas aqui e ali.

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Dia do Meio Ambiente: muito além do 5 de junho

Não, você não precisa plantar uma árvore hoje só porque é o Dia do Meio Ambiente. O que você precisa é parar um pouco para conhecer melhor o assunto e aquelas organizações que trabalham como se todo dia fosse 5 de junho.
Primeiramente, qual é a História do Dia do Meio Ambiente? A data foi oficializada em 1972, por causa de um encontro internacional promovido pela ONU (Organização das Nações Unidas) em Estocolmo (Suécia), para discutir assuntos ambientais. Nele, planejou-se um conjunto de ações que os Governos e a sociedade em geral deveriam realizar para resolver os problemas causados pelas práticas humanas sobre o meio ambiente. Para servir de “lembrete”, constituiu-se o Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho. (Saiba mais sobre a História da ONU com o Meio Ambiente aqui).
Se você acha que uma ação simbólica como esta não tem utilidade, reveja seus conceitos, porque tem, sim. De lá para cá, é visível a intensificação das discussões ambientais ao redor do mundo. Vinte anos depois de Estocolmo, por exemplo, realizou-se a ECO-92, no Rio de Janeiro, na qual mais comprometimentos globais foram estabelecidos. Consequência de eventos como este foi o famoso Protocolo de Kyoto, assinado em 1997, que faz um acordo entre diversos países (inclusive o Brasil) para reduzir as emissões de gases responsáveis pelo agravamento do efeito estufa. Para entender melhor o protocolo, leia o infográfico interativo do site UOL.
Outro resultado foi a expansão de organizações que trabalham em prol do meio ambiente, como a transnacional Greenpeace. Esta ONG tão reconhecida hoje em dia começou com um pequeno grupo de ativistas (dentre eles, ecologistas, jornalistas e hippies) que, em 1971, saíram do Canadá ao Ártico, a bordo de um velho barco de pesca chamado Phyllis Cormack. Eles queriam impedir que os EUA continuassem testes nucleares em uma ilha do Alasca. Depois, foi crescendo e conquistando mais causas e criando mais bases em países diferentes, como no Brasil, em 1992 (junto a ECO-92). Greenpeace é uma organização que não aceita filiação com nenhuma empresa, governo ou partidos, vive apenas de contribuições de filiados (pessoas da sociedade em geral que queiram doar) e objetiva defender o ambiente e promover a paz, inspirando as pessoas a mudarem atitudes e comportamentos.

O barco Phyllis Cormack entrando na baía de São Francisco (Foto: Greenpeace)

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Vivendo entre entulhos

Não é preciso andar muito pelas ruas de Belém para encontrar pontos de entulhos. Geralmente, restos de materiais de construção, madeira, pneus e móveis caracterizam esses amontoados de lixo que ficam jogados ao ar livre. Pela dificuldade de se desfazer desses entulhos, muitos moradores optam por jogá-los em vias públicas, mas quem acaba sofrendo as consequências desse feito é a própria população. Os pontos de entulhos atraem vetores de doenças infecto-contagiosas como moscas, ratos e baratas, além de entupirem bueiros e canais, causando grandes alagamentos durante o período de chuva.

Dona Léia, moradora do Bairro da Marambaia, confessa que prefere jogar os entulhos no canal, já que, segundo ela, o caminhão de coleta que deveria passar regularmente, fica semanas sem dar as caras pelo bairro. ‘’Eles passam uma vez na vida outra na morte. Não dá pra gente esperar a boa vontade deles’’, disse. Dona Léia afirmou também que contrata os carroceiros quando quer descartar algo.

A ONG ‘’Noolhar’’ trabalha hoje em Belém com projetos de conscientização socioambiental e educação sobre o despejo de entulhos. Patrícia Gonçalves, coordenadora do projeto, afirma que a prefeitura não tem obrigação de tirar o entulho das vias públicas. ‘’A responsabilidade do pós-consumo é nossa. A prefeitura não tem obrigação de tirar o sofá de dentro da minha casa ou do meio da minha rua’’, explica. Nesses casos, a coordenadora disse que o certo a se fazer é dividir esse material em partes menores e colocar para coleta comum.

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Em dia de jogo, as redes sociais também entram em campo

A paixão que os torcedores têm pelo seu time é algo quase indescritível quando vemos sua demonstração nos jogos por meio de faixas, hinos, expressões e incentivos durante a partida. No futebol paraense, tivemos recentemente essas demonstrações.
Uma delas foi quando os torcedores do Paysandu deram todo o seu apoio ao time com a derrota contra o Naviraiense (MT), em uma das rodadas da Copa do Brasil. Os bicolores ainda aguardam esperançosos a volta do time à competição. Outra prova de amor com seu time são os azulinos que não deixam de usar a camisa, comentar cada jogo e acompanhar ansiosamente a possibilidade do Remo obter uma vaga na série D.
Esses exemplos mostram o quanto os amantes do futebol levam a sério o seu papel de torcedores. Uma de suas atitudes que vem chamando a atenção ultimamente, tanto de quem gosta quanto de quem não gosta de futebol, são as discussões é a discussão na Internet de determinados times, seja em páginas oficias ou de puro entretenimento, em que se ironiza o time oposto. O que se pode ver também é como em dia de jogo, e após ele, os comentários aumentam, virando às vezes Trending Topics (assuntos mais comentados) no Twitter e postagens incessantes no Facebook.
Muitos torcedores, sejam eles do Remo ou do Paysandu, utilizam seus perfis nas redes sociais para comentar sobre o jogo, utilizando isso como uma maneira de expressar sua emoção ao assisti-lo e, claro, não deixando de fazer piadas ao time adversário. Michel Moura, torcedor do Paysandu, vai de vez em quando ao estádio, mas não deixa de postar algo: “Vou ao estádio de vez em quando, mas sempre coloco no Facebook alguma encarnação. E acredito que se não tivesse essa rivalidade não seria legal, pois isso é coisa de torcida, não somente de postagens para irritar as outras pessoas”, diz.

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Trabalho voluntário ajuda animais abandonados

No início do mês, um fato ocorrido no Rio Grande do Sul chocou o país: um poodle foi agredido por aproximadamente uma hora por sua dona e o filho dela, menor de idade.  Em janeiro do ano passado, no estado de Goiás, uma enfermeira de 22 anos foi acusada de espancar até a morte seu yorkshire. Em Belém a situação não é muito diferente. Apesar de não alcançar repercussão nacional, os casos de maus tratos e abandono de animais são bastante comuns na capital.  A prefeitura não possuiu um número absoluto da quantidade de animais nas ruas, mas não é preciso ir muito longe para perceber que a situação da população canina e felina abandonada é preocupante. Para tentar reverter essa situação, associações de proteção aos animais têm ganhado força na capital paraense.
Cachorrinho disponível para adoção na Feira de Adoção da ASDEPA na Praça da República.
     

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Professores voltam a pressionar o governo por melhorias


Foto: Tarcízio Macêdo
         Aproximadamente 1.500 professores da Universidade Federal do Pará (UFPA), cerca de 90% do corpo docente da instituição, segundo a Associação dos Docentes da UFPA (Adufpa), paralisaram nesta quarta-feira, 22, as atividades docentes pelo período de 24 horas. A paralisação foi definida em reunião do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN) e mobiliza os docentes de todas as Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes).
O movimento ocorreu a partir das 8h com um Café Político promovido pela Adufpa, em frente ao segundo portão da UFPA. Ele faz parte da Jornada Nacional de Lutas, realizado pelo Andes-SN nos dias 20 a 24 de maio, em todo o país, que tem por objetivo pressionar o governo, a fim de que a agenda de negociações com a categoria seja retomada. O governo encaminhará para o Congresso Nacional a Lei Orçamentária Anual (LOA) até final de julho. Nos próximos dias a classe promete intensificar a mobilização e a pressão para que possam alcançar algum resultado concreto na Lei Orçamentária do ano que vem.
         "A finalidade dessa paralisação, que é uma paralisação em âmbito nacional dos professores das universidades federais, é para pressionar o governo federal para reabrir de fato as negociações com a nossa pauta de reivindicações da greve do ano passado. Nós apenas suspendemos a greve, e agora nós estamos retomando a mobilização para avisar o governo que, caso ele de fato não atenda as nossas reivindicações, nós vamos voltar a convocar a greve", explicou Vera Jacob, diretora-geral da Adufpa.
         As mobilizações começam um pouco tarde, em relação ao ano passado. Porém, segundo a diretoria geral, a luta continua sendo a mesma da greve do ano passado: reestruturação da carreira; a precarização e a sobrecarga do trabalho docente; contratação imediata de professores substitutivos, recentemente proibida na UFPA e novos concursos públicos para o aumento do quadro docente, que foram suspensos. A paralisação, conforme a entidade, também é um protesto contra os obstáculos para liberação dos professores para pós-graduação, impostos pela reitoria.

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Competição interregional mostra a Belém que esporte não é só futebol


“Os grandes eventos estão de volta”. Foi com este slogan que o Estádio Olímpico de Belém, o Mangueirão, recebeu o XXXVII Troféu Caixa Norte Nordeste de Atletismo neste final de semana. O evento reuniu 170 atletas de 16 estados do Norte e do Nordeste, sendo 22 paraenses.

O Pará teve um bom desempenho e ficou em quarto lugar na classificação geral, duas posições acima em relação à última edição, realizada em 2012 em Recife. Pernambuco, mais uma vez, ficou em 1º, seguido por Rio Grande do Norte e Ceará.

quarta-feira, 1 de maio de 2013

O verbo trabalhar, tudo funciona quando o conjugamos


Foto: Quatrum English School 
Profissões. Poderíamos listá-las de A a Z, pois existem em todos os lugares do mundo, em todos os segmentos da sociedade e, independentemente dos status sociais que elas agregam ao ser humano, não há uma profissão que seja menos importante.
De verdade, pode parecer clichê ou uma fala simplista, mas se hoje o organismo social funciona é porque houve uma base para a profissionalização de muitos trabalhadores. Seja médico, advogado, engenheiro, cientista, chefe de cozinha, jornalista, publicitário... Todos eles precisaram de um fundamento para contribuir com a execução de suas funções. As bases familiar e escolar são as de maior importância nesse aspecto. Por exemplo, a atuação de um professor vai desde o ensino básico até a graduação, mestrado, doutorado, pós-doutorado e por aí vai. O professor foi orientado por outro professor antes de exercer a profissão (e se continuarmos a fazer essa digressão não terminaremos este texto hoje!). Então, o que seríamos sem os professores? Mas não só sem eles, viu?
O que seriam dos nossos dias sem os motoristas de ônibus, vans, táxis, mototáxis? Um dia sem eles e não chegaríamos – não tão facilmente – à escola, faculdade, ao trabalho, hospital, à delegacia etc.
O que seriam dos nossos momentos de lazer sem a recepcionista, o garçom, o chefe de cozinha, o faxineiro e todos os membros que fazem um restaurante funcionar?
Na maioria das vezes, as profissões mais lembradas ainda são essas que têm um reconhecimento por lei. Mas e aquelas que se enquadram apenas como “autônomas”? Sim, aquela senhora ou senhor que carinhosamente chamamos de "tia" ou "tio", mesmo que não sejam de nossas famílias. Aqueles que vendem coxinha, hot dog, suco, água, bombom... E que estão pelos corredores da faculdade, batendo à porta das salas de escritórios, pelas avenidas, estrategicamente posicionados, ou dentro dos ônibus vendendo canetas, revistas, falando das maneiras mais divertidas que nos convencem a comprar, às vezes, só pela simpatia. Todos merecem destaque!

segunda-feira, 29 de abril de 2013

A leitura é o que abre a cabeça para a consciência

 Vocês já sabem que a Feira Pan-Amazônica do Livro deste ano já começou, não é? Pois é, para te deixar com mais vontade ainda de ir, Os Apocalípticos foi no domingo, 28, conferir de perto como está a Feira. Apesar de esta edição vir em um período mais cedo (geralmente, a Feira Pan-Amazônica do Livro ocorre no segundo semestre, mas neste ano o espaço será reservado para o Festival de Ópera) que as outras, a programação não deixou a desejar, como sempre. Tem o V Salão Internacional de Humor da Amazônia, com o tema “ecologia no traço” (uma exposição de diversos artistas de renome internacional) e aberto durante toda a Feira. Ainda tem diversas peças teatrais – como as do grupo infantil InBust -, venda de livros, exposições, shows, palestras e encontros literários.  E neste domingo houve as ilustríssimas presenças do escritor e desenhista Ziraldo e do músico e escritor Tony Bellotto.

“Eu vim aqui só para dizer isso: estudar é importante, mas ler é mais importante ainda”: esta foi a frase que marcou a palestra do Ziraldo. Apesar de ter começado sua carreira com trabalhos voltados para o público adulto, o autor ficou mais conhecido pelo público infantil e diz que suas viagens pelo Brasil (como esta) são com o objetivo maior de incentivar a leitura desde a infância. “Eu faço esses livros para as crianças lerem. Dê livro de presente”, ele completa. Além disso, Ziraldo fala que não é o suficiente apenas alfabetizar as crianças, mas continuar a educação acompanhada sempre da leitura, “botar o livro na mão do povo”, para que não cresçam como uma “geração de analfabetos que estão entrando no mercado de trabalho”. Por fim, fez uma comparação exemplificativa do processo educativo brasileiro com o norteamericano, já que neste, não importa o curso a ser estudado, há sempre a leitura de clássicos na Universidade: “o estudante pode ser de Medicina, mas, quando está em aula, lê Shakespeare”. Tudo isso para uma frase final: “A leitura é o que abre a cabeça para a consciência”.
Enquanto isso, Tony Bellotto, músico e compositor integrante da banda Titãs desde suas origens e também escritor e cronista, veio para o Encontro Literário a fim de promover seu recém-lançado livro Machu Picchu que, diferente de suas principais obras, é uma história de comédia familiar composta de um amoro virtual, uma obsessão amorosa, traição, um filho maconheiro, uma ex-mulher psicótica, uma filha ausente e meio perdida e uma afilhada misteriosa. Ele também falou conosco sobre a influência dos pais professores na sua carreira, o seu envolvimento social e político e deixou, ainda, o seguinte recado à imprensa: está planejamento um novo livro e a banda Titãs lançará um novo CD ainda neste ano ou no começo do ano que vem.
Enquanto isso não acontece, veja o vídeo da nossa matéria logo abaixo:


Confira a programação da Feira do Livro aqui

Texto de Alice Martins Morais
Revisão de Arthur Medeiros 
Edição de Emanuele Corrêa
Fotos: Juliana Theodoro e Luciano Castro

domingo, 7 de abril de 2013

7 de abril, dia da verdade: a verdade de ser Jornalista



“Ser jornalista é ter um amor pela profissão maior que ao seu salário, é ser louco, é fazer voto de uma vida mais simples”, mas tudo isso já sabemos, então, o que é ser Jornalista de verdade?
Há quem pense que ser jornalista é apenas apurar o fato, transformar em notícia e repassá-la de maneira clara e direta à população. Outros pensam no “glamour” da profissão - que ainda procuro saber quem encontrou, já que é mais suar a camisa e perder noites de sono acompanhado de xícaras e xícaras de café. No entanto, ser jornalista é muito mais que ser um intermediário das relações sociais - destaque a uma das mais importantes: a relação sociedade-governantes e vice e versa. Ser jornalista é ser um profissional constantemente atualizado, pautado na ética e que não repassa a informação apenas, mas educa a população despertando-lhe senso crítico.

sábado, 6 de abril de 2013

UFPA recebe calouros 2013


     No dia 5 de janeiro deste ano, mais de 7 mil nomes de aprovados foram divulgados no Listão da UFPA 2013. É para receber esses milhares de calouros que a UFPA vem se preparando no mês de Abril: Aula Magna, Kit do Calouro, Semana do Calouro e entre outras programações para os tão realizados ex-vestibulandos entrarem com o pé direito na universidade.
     Foi pensando nisso que Os Apocalípticos foi cobrir a Aula Magna 2013, cujo tema é “Políticas Públicas & Desenvolvimento”, com intuito de falar com algumas das pessoas envolvidas nesses planos. Vejam só:





Texto de Arthur Medeiros

terça-feira, 12 de março de 2013

Noite de rock: I Rock School Festival


No ultimo domingo, 10, aconteceu o I Rock School Festival. O objetivo do evento era reunir bandas de colegiais em um só palco. Os ingressos não demoraram a esgotar e aproximadamente 400 pessoas lotaram o famoso Teatro Gasômetro em Belém. Para quem foi, curtiu sons de covers de bandas como  Nirvana, Grunge, The Kooks, Muse, The xx, The Killers, The Cranberries, Placebo e outros.


Mas se você perdeu o evento, não se preocupe! Confira agora com Os Apocalípticos tudo o que rolou no Festival:



Texto de Fábia Sepêda

sexta-feira, 8 de março de 2013

Dia da Mulher: a luta por trás das rosas


Foto colegioecologia.com.br
Hoje se comemora o Dia Internacional da Mulher. Dia de dar flores e chocolates para as integrantes do sexo feminino, certo? Errado. Na verdade, o Dia Internacional da Mulher é marcado por um fato histórico que muitos desconhecem. Tudo começou no dia 8 de março de 1857, quando operárias de uma fábrica de tecidos, ao fazerem greve por condições melhores de trabalho, foram reprimidas violentamente. Por volta de 130 tecelãs morreram trancadas dentro da fábrica, que foi incediada. 53 anos depois, em uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que em homenagem a essas mulheres o 8 de março seria o Dia Internacional da Mulher, data oficializada pela ONU em 1975.
De lá para cá, porém, o sentido do 8 de março parece ter sido distorcido. A intenção não era comemorar, como se faz por muitos hoje em dia, mas discutir o papel da mulher na sociedade e lutar pela igualdade de gênero. Felizmente, existem organizações que não esqueceram e nem esquecem o significado.
Em nível internacional, temos o exemplo da organização Girl Up, com sede em Washington (EUA). É uma campanha inovadora dentro da Fundação das Nações Unidas. Seu propósito é dar às garotas norte-americanas a oportunidade de se tornarem líderes globais e canalizar sua energia e compaixão para desenvolver consciência e fundos para os programas da ONU que ajudam algumas das adolescentes mais difíceis de alcançar no mundo, principalmente aquelas em países extremamente machistas, como alguns da Ásia, da África e da América Latina.
Esse é um programa que faz parte do ONU Mulheres, a facção das Nações Unidas criada antes tarde do que nunca (inaugurada em 2010) que trabalha em prol da igualdade de gênero e do empoderamento das mulheres.
O foco do Dia Internacional da Mulher neste ano, para a ONU, é a eliminação da violência contra mulheres. Por isso, o Secretário-Geral Ban Ki-moon deixou o seguinte recado, em sua mensagem de hoje: “Olhe para as mulheres que o cercam. Pense naquelas queridas por sua família e sua comunidade. E entenda que há uma probabilidade estatística de que muitas delas tenham sofrido violência durante sua vida”.
É com essa linha de pensamento, que aqui mesmo, em Belém do Pará, criou-se, o GEPEM - Grupo de Estudos e Pesquisas Eneida de Moraes, em homenagem à escritora paraense. O projeto faz parte da Universidade Federal do Pará e foi fundado em 1994, pelas mesmas professoras que hoje são as coordenadoras: professoras doutoras Maria Luzia Miranda Álvares (FACS/IFCH/UFPA) e Eunice Ferreira dos Santos (ICED/UFPA). O grupo tem o propósito de ser integrante no processo de reflexão crítica para a formação acadêmica, educacional e social. Um dos pontos interessantes é que o GEPEM é transdisciplinar, ou seja, engloba todas as áreas de conhecimento e reúne pesquisadoras(os) e docentes de todos os cursos e de várias proveniências, não apenas da UFPA.
O GEPEM tem 5 linhas de pesquisa: Mulher e Participação Política; Mulher, Relações de Trabalho, Meio Ambiente e Desenvolvimento; Gênero, Identidade e Cultura; Gênero, Arte/Comunicação, Literatura e Educação; Gênero, Saúde e Violência.
Um projeto cultural que se destaca do GEPEM é a Casa da Escritora Paraense (CASAEPA), uma instituição sem fins lucrativos destinada a ser um centro de memória com a finalidade de guardar, preservar e divulgar a obra intelectual e literária (édita e/ou inédita) das/sobre escritoras paraenses. Assim também peças documentais de natureza diversa que pertenceram ou que sejam relacionadas a essas literatas. Esse material é obtido na linha de pesquisa Gênero, Arte/Comunicação, Literatura e Educação.
 Dessa forma, trabalhos como o do GEPEM contribuem para a compreensão do universo do sexo feminino e para a criação de medidas que possam ser postas em prática por organizações como a ONU Mulheres, quem sabe. E aí, talvez, um dia realmente haja igualdade de gênero e todos percebamos que o 8 de março vai muito além das rosas.

Visite os sites dos grupos falados neste texto:
·                    Girl Up: www.girlup.org
·                    Onu Mulheres Brasil: www.onu.org.br/onu-no-brasil/onu-mulheres
·                    GEPEM/UFPA: www.ufpa.br/projetogepem

Texto: Alice Martins Morais
Revisão: Erica Marques
Edição: Juliana Theodoro